No dia 25 de novembro, aproximadamente 50 pessoas, entre educandos, pais e educadores receberam a equipe do projeto Territoriar para uma conversa sobre as ações que deram continuidade à proposta do projeto. Além disso, também foram realizados o lançamento do documentário Territoriar: Ambiente Educativos Inspiram Novas Aprendizagens e dos livros de percurso formativo.

Durante o encontro do comitê foi tecida uma colcha de retalhos, com o objetivo de reviver as memórias afetivas e territórios frequentados. Ao iniciar o momento lúdico, cada pessoa ganhou um pedaço de tecido. Foi então proposto que de um lado do tecido registrassem por meio de desenhos, uma lembrança que trouxesse a memória um sentimento bom. Após a partilha desses momentos, os participantes foram convidados a registrar do outro lado do tecido, suas expectativas para a escola, remetendo-se ao desejo de multiplicar as boas experiências partilhadas.

A ressignificação dos espaços

O Comitê Multidisciplinar da Escola 8 de Maio teve como forte característica a participação do coletivo nas reflexões acerca dos espaços educativos. Para isso, uma urna foi utilizada para o registro das opiniões da comunidade escolar durante a reunião de pais, que manifestaram seus desejos sobre a melhoria do espaço educativo, e dos educandos durante as aulas. A mediação da gestão da escola foi fundamental para o envolvimento da comunidade educativa na tomada de decisão.

O grupo identificou que a estrutura arquitetônica da escola é ampla, oferecendo um ótimo espaço para o desenvolvimento de atividades ao ar livre. Por isso, a escolha para ressignificação foi o parque, denominado pelo Comitê de Circuito do Brincar. Os desafios identificados foram: a falta de brinquedos para todas as idades; a pintura; e a má conservação. O local recebeu novo gramado e pintura de toda a área, com inclusão de novos brinquedos. Mais colorido e com a inclusão de mesas, cadeiras, jogos no piso e um pergolado para atividades de aula ao ar livre, o espaço qualificou a convivência entre pares e a prática do brincar. Os educadores têm neste espaço a oportunidade de ressignificar seus planejamentos pedagógicos para uso dos locais como aprendizagem diferenciada e significativa, ampliando as relações e tornando possível a construção de vivências que respeitem as diversidades, tornando o espaço formativo também para a comunidade e seu território.