No dia 28 de outubro de 2017, em Colombo – PR, a Escola Municipal João Stocco e 40 educadores receberam formação com o arte-educador Nélio Spréa, que para mais uma ação do projeto Territoriar, fortaleceu debates sobre as infâncias, brincadeiras e os desafios das escolas na atualidade. A importância do olhar para as particularidades da escola e de comunidade, os desafios na continuidade e no desenvolvimento de propostas pedagógicas que ampliem a participação e a autonomia dos educandos e da comunidade.

Este olhar para o total, pensando nas práticas pedagógicas, no respeito e no convívio social na escola, trouxe o debate sobre as vulnerabilidades em que crianças e a adolescentes estão expostos e necessidade de um trabalho continuo e de acolhimento para com estes, identificando que o primeiro movimento da escola na transformação das vidas destas crianças é o acolhimento. Como conta o formador Nélio, “ Esta criança aprende desde cedo a ter que andar com o peito estufado e mão fechada”, que quando ela passa a fazer parte deste novo contexto social, a escola e as regras de convívio neste novo espaço não fazem sentido para este garoto, colocando-o em posição de xeque em relação a tudo que ele viveu até ali.

A proposta da manhã foi refletir através de informações e de muitas brincadeiras como as práticas dos educadores refletem na educação destas crianças e como o uso do lúdico e do território pode potencializar as aprendizagens , a Professa XXX, contou que no início do ano ensinou as suas turmas a jogarem “ovo choco, brincadeira em que todos permanecem sentados em círculos, enquanto outra corre em volta e determina quem será o ovo choco, daí o escolhido dele pegar aquele que o escolheu antes que ele sente. Com este jogo a professora trabalhou em sala temas relacionado a escrita e história, e agora no final do ano, a brincadeira tem ainda grande repercussão na escola.

A manhã foi finalizada com a com a apresentação do documentário “Territoriar – Ambientes Educativos Inspiram Novas Aprendizagens, onde os professores puderam se identificar e ter um pouco mais de contato com todas as outras escolas participantes da primeira etapa do projeto Territoriar.

A ressignificação de espaço

O Comitê Multidisciplinar da Escola identificou a necessidade de promover a participação infantil na unidade e a valoriza-las nas tomadas de decisão. A iniciativa em colocar uma urna para a coleta de sugestões acerca dos espaços, fez com que a participação fosse ampliada.  Por isto a implantação de um novo parque fez-se necessária. A área escolhida recebeu brinquedos para todas as idades e deixou acesso a um bosque.

As reflexões acerca do Projeto Político Pedagógico da escola ressaltam a necessidade de mudanças significativas no documento, incluindo a consideração das necessidades da comunidade e a inclusão de concepção de ambiente educativo, a relação da criança e do adulto nesse ambiente e suas vivências.